quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

QUERIDOS AMIGOS!

Coisas que acontecem! A realização da transitoriedade. O velho e muito bem usado computador foi até onde foi possível. Só eu que não percebia , sendo que perdi muito material que não teve como ser recuperado. Até sabia que devia ser mais precavida mas adiava essa tarefa. Assim tive que fazer o exercício do desapego. Mas agora, com novo equipamento, vou retomando o hábito de escrever e cuidar do meu blog.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

COMUNICADO

COMUNICAMOS QUE AS ATIVIDADES DO ZEN VALE DOS SINOS ESTARÃO SUSPENSAS DURANTE AS FESTAS DE FINAL DE ANO. RETOMAMOS NORMALMENTE A PARTIR DO DIA 07 DE JANEIRO DE 2011.

PARA TODOS FELIZ E PRÓSPERO ANO NOVO!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010


Estimados Leitores.
Estarei temporariamente "fora do ar" pois meu computador estragou de tal forma que terei que providenciar novo equipamento.
Até breve.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

08 de Dezembro - Dia da Iluminação do Buda.




Mensagem de Sensei Coen Roshi, nesse dia auspicioso:


Se nosso Mestre Fundador, Venerável e Admirável Xaquiamuni Buda não houvesse usado de meios hábeis nós não poderíamos nos sentar hoje em zazen.

Neste dia da Iluminação
Possam todos os seres alcançar
A mesma sabedoria e compaixão
de Nirvana

Gassho
Coen

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

COMUNICADOS

POR MOTIVOS DE RETIRO - ROHATSU SESSHIN -
NÃO HAVERÁ ZAZEN NESTA SEXTA-FEIRA,
DIA 03 de DEZEMBRO.


ALTERAÇÃO DE HORÁRIO
A partir do próximo Domingo, dia 05 de dezembro, a meditação para iniciantes será às 19h00.

CONVITE
informações
www.agenciadeleiloes.com.br

segunda-feira, 29 de novembro de 2010


DE CUMPRIMENTOS, ENCILHAS E LÉGUAS

Não sou historiador nem pesquisador, apenas quero registrar o que vai pelo meu pequeno mundo dos fins de semana, mais precisamente os campos sagrados de Unistalda. Pode no seu rincão a cousa ser diferente, tudo bem.

Nosso cumprimento é assim: a pessoa estende a mão com a palma aberta, os dedos juntos e só toca levemente na palma do outro. Não tem aquelas esgrimas e tapas no ombro e outros floreios.
Geralmente o peão tira o chapéu para cumprimentar o patrão. Também já vi muitos colocarem a mão na aba do chapéu e darem uma pequena levantadinha.
Nosso campeiro monta com o cavalo já fazendo a volta e coloca o outro pé no estribo com o cavalo já em marcha. As duas rédeas são seguras juntas na mão esquerda. A direita fica livre para atirar o laço, puxar a faca para cortar um galho no mato a fim de facilitar a passagem, para abrir uma cancela mesmo montado etc. ( e hoje para atender o celular..). Nada de segurar uma rédea em cada mão como se fosse uma carreta de bois.
Não vi aqui o costume que existe nos EUA de laçar a rês e apear pelo lado do laço com a perna boleada para a frente. Sempre se desmonta pelo mesmo lado que montou.
Nossa légua tem 6 kms. Há lugares em que são 6.600 metros, eu sei. Essa legua, num trancão, o cavalo faz em uma hora.
Uma coisa é cavalo de fazenda, campeiro e outra é cavalo de sítio.
O cavalo campeiro é inteligente, impaciente, e faz certas coisas sozinho. O cavalo campeiro não toma água em balde. Só no açude ou na sanga. Quando você chega na porteira com ele, ele encosta de lado e lhe dá 3 segundos para abrir a alça. Depois disso ele segue e lhe deixa com os dedinhos pendurados no arame. Também lhe dá 3 segundos para montar. Se você for lerdo vai montar na garupa e o flete vai lhe atirar fora. Na hora de apartar o gado, o cavalo vai ” pechar” o terneiro ou a vaca e fará movimentos súbitos. Se você for daqueles ” cavaleiros de cavalgadas de asfalto ou praia” ele vai lhe atirar no barro da mangueira em poucos segundos.
Na nossa região nunca vi os campeiros usarem selas. São usados bastos em cima dos ” xergões” para não assar o lombo do animal.
Na nossa região é impossível camperear sem o cavalo. Há lugares enlameados, de difícil acesso, onde só se chega de a cavalo. Nos nossos campos eles têm os cascos já acostumados às pedras, de sorte que não precisam ser ferrados.
O maior esporte, finalmente, é o rodeio. Falo no rodeio gaúcho mesmo, que obedece severas regras para não virar em coisa de cow boy. Há regras para a indumentária e o próprio tipo de laço.
Cavalguei muito quando era piazinho, mas naqueles matungos da colônia.
Aqui voltei a montar e o faço há 15 anos. É um ritual que me dá muito prazer. Já levei três tombos muito feios. Por isso respeito muito: o cavalo é um animal de 500 kgs, ele sente sua insegurança e se torna imprevisível ante um susto ou uma contrariedade. Por isso só monto nos meus, de minha predileção e jamais aceito montar fora das áreas de nossa propriedade, em cavalos alheios. E também uma regra de ouro: jamais se deve camperear ou sair de a cavalo solito.
Bom domingo e vamos rezar por tempo bom, ou seja, muita chuva.

Por Ruy Gessinger.



DE CUMPRIMENTOS, REGRAS E TRADIÇÃO NO ZEN.


Essa foi mais uma crônica agradável de ler de meu amigo e parente distante Ruy.

Ele não é um historiador mas tem muita história pra contar.

Cada tradição tem suas normas, costumes e regras. Nessa, ele descreveu como é a tradição campeira dos gaúchos aqui dos pampas. Sua crônica me inspirou a escrever um pouco sobre a tradição Zen-Budista, no aspecto que se refere especificamente ao cumprimento e postura correta.

Não é costume no Zen o abraço. Esse não é um costume no oriente. O gasshô, mãos palma com palma, unidas em frente ao peito, na altura do coração, é o gesto que substitui o abraço, ao mesmo tempo que faz uma flexão de tronco. Comunica também um pedido de licença, um pedido de desculpas, uma atitude de reverência e de respeito, etc.. Apesar das pessoas não se tocacem não significa que não se gostem e que não tenham um apreço muito grande um pelo outro. Venho de um costume onde o abraço e os tres beijinhos são um hábito, o que não garante necessariamente que seja feito com contato e afeto. Desde que eu me ordenei monja, tenho refletido muito sobre o costume de abraçar. O Zen, como o Budismo no geral, não vai se impor e reprimir uma tradição. Sou livre para decidir entre abraçar ou não. A reflexão é sobre o condicionamento de abraçar,às vezes sem nenhum significado que não seja de repetir um hábito, de tentar garantir uma simpatia, de um floreio para seduzir e ser carismática. Estou tendo a grande oportunidade de viver uma pouco da cultura japonesa. O Zen-Budismo emergiu no Japão há mais de 1.000 anos, já trazendo alguns costumes da Índia e da China. Era tradição na India, o disípulo dar tres voltas em torno do mestre e em seguida agachar-se e lhe beijar os pés. Nas religiões Afro-Umbandista tem a tradição de “Bater Cabeça”, algo parecido. No Budismo faz-se as reverências até o chão. No Zen, ao prostrar-se no chão, toca-se a testa no chão elevando-se as mãos até a altura das orelhas. Geralmente é uma sequência de três reverências que se chama Sampai e são feitas em cerimônias. Praticantes budistas no dia adia se cumprimentam com um gasshô(palma com palma) , que expressa afeto, atenção, consideração e respeito, as vezes uma distância ótima que preserva os bons e saudáveis relacionamentos.

Gasshô!






ZENDO BRASIL COMUNICA

Gostaria de anunciar a todos voces que as palestras da Sensei Coen, de terças feiras, estão sendo publicadas na integra no link abaixo:


Em breve todas as palestras anteriores, deste ano estarão tambem disponibilizadas ali.



sábado, 27 de novembro de 2010




Participei há poucos dias de um Retiro de prática intensiva no Campo de Auschwitz-Birkenau. Como a experiência foi muito profunda, senti a necessidade de partilhar. O relato está disponível no meu Blog pessoal, em jorgekoho.blogspot.com .
Fico grato pela sua atenção, e aspiro que essa partilha possa ser de alguma utilidade para o seu cotidiano.
Abraço fraterno.

Jorge Koho Mello


Este é o email que recebi de meu irmão Monge Kohô. É o relato da vivência que ele teve em um retiro no Campo de Concentração de Auschwitz. É um depoimento sensível, intenso e profundo.
Obrigada por proporcionar o compartilhamento dessa experiência. Deixo aqui minha sugestão para que acessem o blog do amigo Kohô.
Gasshô!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010




A igualdade de todos os seres e de todos os fenômenos.
O silêncio da prática
No barulho na prática
O estalar das obras
O cantar do sabiá
Estão todos no púlpito!
O que mais pode faltar?

terça-feira, 23 de novembro de 2010

SEQUENZE


Em única apresentação, estará conosco nossa colega de sanga Kaizen.
Confira o evento abaixo e não pecam!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Resposta de Ricardo Esteves - Monge Shindô.




Prezados(as),
Adorei as fotos e ainda mais o nosso convívio naquela semana.
Foi uma semana muito especial e de muito aprendizado.
Espero que possamos repetí-la em outras oportunidades.
Para quem gostou da poesia do Bilac...

Dualismo

"Não és bom, nem és mau: és triste e humano...
Vives ansiando, entre maldições e preces,
Como se a arder no coração tivesses
O tumulto e o clamor de um largo oceano.

Pobre, no bem como no mal padeces;
E rolando mum vórtice insano,
Oscilas entre a crença e o desengano,
Entre esperanças e desinteresses.

Capaz de horrores e de ações sublimes,
Não ficas com as virtudes satisfeito,
Nem te arrependes, infeliz, dos crimes:

E no perpétuo ideal que te devora,
Residem juntamente no teu peito
Um demônio que ruge e um deus que chora."

Olavo Bilac
Abs a todos
Gassho
Shindô

domingo, 21 de novembro de 2010


Na palestra do darma proferida por Saikawa Roshi no sesshin no Busshin-Ji, ele disse que a natureza é o que é, os animais são o que são, somente os seres humanos tentam fazer diferente do que é sua própria natureza. Na ânsia de saber, de conhecer ( na tentativa de dominar a natureza), a mente dual e discriminativa do ser humano fragmenta tudo em partes, quando então perde o contato com a sua verdadeira natureza.
Não estamos fazendo tal qual as crianças quando desmontam um brinquedo e depois não conseguem mais montar?

quinta-feira, 18 de novembro de 2010



As vezes somos agraciados por belas reportagens na TV aberta. Hoje tive a alegria de ver a história de Seu Nono, no programa Esporte Espetacular. Confúcio dizia:
" Encontre um trabalho que você ame realizar e nunca mais trabalhe."
É o que o Seu Nono tem tido a grande sorte de fazer. Aos 89 anos, ele faz as redes de vôlei e de futebol de areia em Copacabana. Sua marca é famosa e suas redes são vendidas para todo o Brasil. Antes ele era pescador, mas depois que perdeu o barco numa tempestade, decidiu dedicar-se para a arte de tecer redes.
Seu Nono é sábio na arte de tecer a vida!
Vida longa ao Seu Nono!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010


Foto ao final do Retiro de Treinamento de Monges/Monjas,
com o Abade Superior
Dosho Saikawa
Busshinji - São Paulo
08a 12 de novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

Clique na imagem

terça-feira, 2 de novembro de 2010



CAMPANHA PRÓ VIAGEM DE MONJA KOKAI AO JAPÃO.

No mes de fevereiro deste ano, o Zen Vale dos Sinos recebeu a ilustre visita de Moriyama Roshi, professor de Monja Kokai durante 5 anos, de 2000 a 2005, período que o mesmo residiu em Porto Alegre, sendo o orientador espiritual do ViaZen. Este mestre trouxe importantes contribuições para o Zen Budismo no Brasil e América Latina.

Na intenção de homenagear este Mestre e retribuir tamanha dedicação ao Darma , um grupo de brasileiros, acompanhados por Monja Coen Sensei, está se organizando para ir ao Japão com data prevista para em julho de 2011, quando o templo desse mestre comemora 30 anos de existência. Será também uma viagem de estudos e treinamento nos grandes mosteiros do Japão.

Sensibilizados, os membros da comunidade do Zen Vale dos Sinos fizeram uma comissão que passou a reunir-se sistematicamente para pensar e realizar eventos e atividades e a renda angariada, destinada a custear parte da viagem.

Confira o último evento:

CHÁ DA PRIMAVERA














O evento foi um sucesso e isto somente foi possível graças ao engajamento de muitas pessoas. Desejo externar gratidão à Jaque, dona do restaurante Natur Haus, que colocou toda a estrutura a nossa disposição. À comissão, que trabalhou muito, desde pedir doações de brindes e doces para o chá, elaboração do lindo convite pela Luma, os criativos arranjos de mesa pela geração de mulheres, Lulu, Dani Shunmyo, sua mãe e a avó, a venda dos convites, que lotou o salão no dia do chá, dia tão lindo e agradável. Patrícia, que mais uma vez foi incansável, sua mãe cobrindo a retaguarda, a Claire que no dia foi muito atenciosa. E como não poderia faltar, o Zen Vale dos Sinos, em nome de sua monja, agradece a vinda de todos, esperando que mais uma vez tenham se divertido.

Agradecimento também pela presença de praticantes da sanga do Via Zen, Cesár Daido, Ana e a filhinha Rebeca, que nesse dia deu seus primeiros passos sózinha.


segunda-feira, 1 de novembro de 2010




PRESIDENTA DILMA !

Jorge Loeffler ( blog praiadexangrila) repoduz magnífico artigo de Rui Martins, jornalista brasileiro que reside em Berna)

…………………………………………
Estranho país esse meu Brasil, onde por guerrinhas políticas se procura denegrir a imagem de seus heróis do passado. Os covardes de ontem, que compuseram, colaboraram ou se aproveitaram da ditadura tentam agora minimizar o valor de todos quantos expuseram suas vidas em luta pela liberdade e pela democracia dos dias de hoje.

Dilma Rousseff não é apenas a primeira mulher brasileira eleita presidenta (e isso já é extraordinário num país tido como de machistas), é mais que isso, é uma das lutadoras naqueles escuros anos de chumbo. Anos em que, militares teleguiados pelos EUA destruíram a cultura construída nas nossas universidades, a pretexto de evitar o marxismo, mas na verdade para manter a desigualdade social e a semi-escravidão de grande parte da população, da qual só agora vamos saindo.

Dilma foi uma resistente, vinda das hostes de um outro herói, Leonel Brizola. Sua eleição é o coroamento do longo caminho das batalhas sociais em favor do povo e da liberdade, que são por uma melhor repartição do pão e por uma melhor remuneração do trabalho da maioria da população.

Depois de quase quinhentos anos de um Brasil governado sempre pelas mesmas famílias, pelas mesmas oligarquias, houve a ascenção de um filho do povo. A Casa Grande perdeu para os habitantes da Senzala e um Brasil mais justo vai surgindo, mesmo diante de numerosas tentativas para se devolver o poder aos seus antigos detentores. Oito anos, tantas vezes conturbados pelas dificuldades de se governar com um Parlamento viciado na corrupção, é um tempo curto demais para se contrapor aos quase 500 da elite branca e rica brasileira, disposta tantas vezes a vender e a ceder nossas riquezas em troca de vantagens pessoais.

Dilma Rousseff, a corajosa mulher dos anos 60, que viveu três anos nas escuras celas do Dops, por afrontar os militares – nisso sobrepujando tantos homens, dispostos por covardia a se submeter aos fardados – é hoje a garantia de um novo governo em favor do povo e não em favor dos ricos e suas oligarquias.

O Brasil é exemplo de democracia na América Latina, mostra um enorme avanço tecnológico ao ser capaz de apurar rapidamente as eleições que, nos EUA, demoram um mês em meio a trapaças de toda espécie.

A derrota de Serra sela o fim de um época. Por um bom tempo, poderemos ter a certeza da manutenção dos verdadeiros representantes do povo no poder, mesmo sob a pressão do cartel da imprensa da direita, que confunde liberdade de expressão com manipulação e engôdo do povo com seus telejornais supérfluos, suas telenovelas modificadoras da nossa cultura e com sua máquina de informação implantada por todo o país sem contrapartida, numa verdadeira ditadura latente e invisível mas eficaz.

Dilma, a resistente de ontem é a nossa presidenta de hoje, numa extraordinária revanche aos golpistas, torturadores e assassinos do passado, ainda saudosos dos anos em que enterraram aqueles anos ricos em cultura e manifestação popular. Os tempos mudaram, graças aos resistentes, o Brasil se transformou, graças aos anos Lula numa potência mundial, que Dilma, representante das mulheres brasileiras, tantas vezes oprimidas e obrigadas a ficar na cozinha, vai continuar.

domingo, 31 de outubro de 2010

DIA 31 DE OUTUBRO DE 2010 ENTRA PARA A HISTÓRIA.




É com o coração cheio de alegria que posso afirmar: Eu vivi isso.
O dia em que o Brasil, democraticamente, elege sua primeira Presidente mulher.

Que Dilma possa contar com a cooperação de todos.
Que os interesses da coletividade sejam garantidos em detrimento dos individuais.
Que Dilma tenha saúde para estar à frente de tamanho desafio.
Que todos os Budas e Budas iluminem o seu caminho.
Que Dilma seja investida da graça dos seres celestiais, que seja uma Bodhisatva generosa, diligente e sábia.

SALVE ESSE DIA! VIVA DILMA!
MUITAS CONGRATULAÇÕES!


sábado, 30 de outubro de 2010

PALAVRAS DO DARMA




Silêncio! Não peça nem espere nada. Caminhe dignamente. A cada passo seu,a terra toda se comove. Veja a luz e a sombra. Não escolha.As trevas não são assustadoras nem a claridade é sedutora.

Silêncio! Não peça nada, nem espere nada. Só assim suas mãos estarão cheias. Trabalhe dignamente. Cada gesto seu transforma o mundo. Veja os bons e os maus. Não discrimine. Os marginais não devem ser mais temidos do que os que marginalizam pessoas. E todos fazem parte da grande irmandade.

Silêncio! Não peça nem espere nada. Mas tome uma atitude. Construa o mundo a sua imagem e semelhança.

Vá. Faça a luz com a sua própria luz. Leve sabedoria e compaixão, sem escolher entre esse ou aquele coração.


Monja Coen

terça-feira, 26 de outubro de 2010

domingo, 24 de outubro de 2010

CONVITE PARA O CHÁ DA PRIMAVERA



clique na imagem

ZAZENKAI - RETIRO DE UM DIA


SÁBADO - 23/10
ZAZENKAI














A prática do Tenzo - com um observador curioso.


A prática do Samu





Montagem dos Oriokis



Kinhin



quinta-feira, 21 de outubro de 2010

AVISO
Devido ao zazenkai de sábado, comunicamos que nesta sexta-feira(22/10)e no domingo(24/10) não haverá zazen.

domingo, 17 de outubro de 2010

PROGRAMAÇÃO RETIRO

RETIRO DIA 23/10/2010

ZAZENKAI

Programação

7h30 – Chegada e Orientações

8h00 – Zazen(meditação sentada) 25’ 10’ 25’

9h00 – Tchôca(cerimônia da manhã)

9h20 – Chá e café

9h30 - Samu(trabalho em comunidade)

10h00 – Oficina sobre a prática do Orioky.(Cerimônia do Almoço)

10h30 – Zazen(30)

11h00 - Estudo do Darma( apostila do curso de preceitos)

11h45 – Cerimônia do meio-dia

12h00- Almoço formal

13h00- Intervalo para descanço

14h00- Estudo do darma – OS SELOS DO DARMA.

15h00 – Zazen e Kinhin no pátio. 20’ 20’ 20’

16h00 – Roda do Darma

16h45 - Cerimônia de Encerramento.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010



RETIRO DE UM DIA
ZAZENKAI

Clique na imagem

terça-feira, 5 de outubro de 2010




PALAVRAS DO DARMA

Sustentável é o que pode ser sustentado. Sustentar é segurar por baixo, servir de escora, impedir que caía, suportar, amparar, conservar, manter, alimentar física ou psiquicamente, prover, dar ânimo, sofrer com resignação, agüentar, pelejar a favor de, estimular, alimentar, nutrir.

Isso não significa concordar. É necessário que tenhamos uma grande diversidade de visões e de sonhos. Por que o discordar nos enraivece e limita?

O “eu” não é importante quando compreendemos que ele é sustentado por elementos “não-eu”.

Sustentar não é fácil. Um projeto, um ponto de vista, uma família, saúde, sistemas de relacionamentos. Por que ficamos o tempo todo apenas criticando ou querendo nos exibir como os únicos capazes?

Monja Coen

domingo, 3 de outubro de 2010


OS TRÊS TESOUROS.

Os Três tesouros, o Budha, o Dharma e a Sangha, são o refúgio do praticante. Tomamos refúgio em Buda porque é um grande mestre. Tomamos refúgio no Dharma porque é um bom remédio. Tomamos refúgio na Sangha porque são bons amigos. Somente quando tomamos refúgio nos três tesouros é que nos tornamos discípulos de Budha. O mérito de tomar refúgio em Budha, no Dharma e na Sangha inevitavelmente surgirá quando houver uma comunicação espiritual entre o praticante e o caminho. Quando há uma comunicação espiritual entre o praticante e o caminho, todos os seres, sejam eles celestiais, humanos, infernais, demônios famintos ou animais, também tomam refúgio. Aqueles que tomam refúgio, vida após vida, tempo após tempo, existência após existência, lugar após lugar, estarão sempre avançando e seguramente acumulando méritos, atingindo a completa e perfeita iluminação. Devemos perceber que o mérito dos três refúgios é o mais honrado, o mais elevado e o mais profundo que se pode conceber.”

Dogen Zenji

quinta-feira, 30 de setembro de 2010






Nós criamos os mundos nos quais vivemos - agradáveis e desagradáveis -
cada dia um mundo novo.

Tomar conhecimento disso é, por um lado, descobrir a liberdade -
por outro lado, é assustador, pois não há possibilidade de fuga,
não existe refúgio.

Em nenhum lugar e em nenhum tempo estamos seguros de nós mesmos.

E nós temos que admitir - aquilo que nos acontece, nós não sabemos como acontece.
Trata-se de processos os quais não compreendemos como controlar (conduzir) - ainda
que esteja muito claro que somos nós quem os põe em ação.

Mas nós podemos buscar refúgio nos Tres Tesouros.

E depositar confiança na ( no girar da) Roda do Darma.

E tomar a decisão de aprender tudo o que for
necessário para poder fazer isso.

Girar a Roda do Darma é a atividade dos Bodhisattvas.



Wir kreieren die Welten, in den wir leben,
angenehme und unangenehme. Jeden Tag eine andere.

Diese Erkenntniss verspricht Freiheit -
einerseits - und macht andererseits
erstmal Angst, denn es gibt keine
Fluchtmöglichkeit. In keinem Ort der
Welt und zu keiner Zeit sind wir vor uns selber sicher.

Und wir müssen uns eingestehen, dass wir
nicht wissen - wie (es) uns geschiet. Es
sind prozesse, die wir nicht zu steuern
wissen verstehen, obwohl ganz klar wir es
sind, die sie in Bewegung setzen.

Aber Zuflucht nehmen können wir zu den
Drei Juwellen.

Und Vertrauen fassen in das Drehen des
Dharma- Rades.

Und beschliessen, alles zu lernen um dies zu tun.

Das Drehen des Dharma-Rades ist die
Aktivität der Bodhisattvas.

Monja Zuiten, 03 de agosto de 2002.

terça-feira, 28 de setembro de 2010





Fui uma das convidadas para palestrar no Seminário de Espiritualidade promovido pela Maçonaria neste final de semana na cidade de São Francisco de Paula, na serra gaúcha. Cada palestrante deixou alguma mensagem que ajude a nos enriquecer espiritualmente. Houveram diversas falas interessantes mas nenhuma me tocou mais do que o contato com uma personagem dos livros infantis. Ao final do seminário fomos passear numa linda livraria da cidade. Uma senhora(talvez a dona da livraria) pede para que eu leia um livrinho e depois lhe dê minha opinião. O nome do livro é "Selma", de uma escritora alemã, Jutta Bauer.
É mais ou menos assim:
Alguém do reino animal deve conceder uma entrevista, (que tal uma palestra?) sobre felicidade. Recomendam que a ovelha Selma o faça, por ela ser muito sábia.
Perguntam à Selma:
- O que é felicidade para a senhora?
Selma diz:
- Acordar de manhã, fazer uma boa refeição(pastar), um pouco de exercício (brincar), conversar e ensinar as crianças, outra refeição, conversar um pouco com minha amiga Da. Maria , contemplar o final do dia e uma boa noite de sono.
- O que a senhora faria se ganhasse na loteria para ser mais feliz?
Selma responde:
- Bem, eu acordaria, faria uma boa refeição, um pouco de atividade física, ensinaria as crianças, comeria mais um pouco da relva verdinha, visitaria minha amiga e contemplaria o entardecer e teria uma boa noite de sono.

Talvez se pudermos colocar nossas prioridades em perspectiva veremos que o que mais enche nossos corações de alegria e significado são coisas muito simples e que fazem parte de nosso dia-a-dia.

Que a primavera seja bem vinda e que nos encante com suas cores, seus aromas, sua briza, o cantar dos pássaros e esse lindo sol que nos aquece e traz a luz.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010


Aconteceu em Setembro.


Palestra sobre Simplicidade Voluntária, com Monge Kohô.














Sesshin Vila Zen














Meditação Caminhando.

terça-feira, 21 de setembro de 2010


O que disse Sidarta a Govinda, sobre a busca do caminho.

"Quando alguém procura muito, pode facilmente acontecer que seus olhos se concentrem exclusivamente no objeto procurado e que ele fique incapaz de achar o que quer que seja, tornando-se inacessível a tudo e a qualquer coisa porque sempre só pensa naquele objeto, e porque tem uma meta, que o obceca inteiramente. Procurar significa: ter uma meta. Mas achar significa: estar livre, abrir-se a tudo, não ter meta alguma. "

Hermann Hesse, Sidarta.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

RETIRO COM COEN ROSHI



Mais uma vez nos retiramos para estarmos mais próximos de nós mesmos, nos conhecermos melhor através da atenção plena. Atenção ao que sentimos, pensamos, nossa respiração, como nos movemos, caminhamos, sentamos, dormimos, comemos...No silêncio do zazen, do samu, do cozinhar, do alimentar-se. O silêncio que nos permite ouvir melhor os sons da natureza, o canto dos pássaros, o cacarejo da galinha do mato, o som da chuva.

Atenção aos ensinamentos de Sensei que foram muitos. Dentre eles, compartilho alguns.

O mosteiro em que os monges e monjas ordenados por Coen Roshi estão formalmente registrados no Japão, chama-se Daiyuzan Saijo Ji. O peculiar desse templo é que nele não são feitas cerimônias e preces aos felecidos e ancestrais. As pessoas se dirigem a este mosteiro para fazer pedidos. As orações são todas para que os pedidos e os desejos das pessoas sejam realizados: sucesso nos negócios, prosperidade, casamento, êxito nos estudos, nos relacionamenos, etc.

Sensei nos fala que nem sempre é fácil saber o que realmente desejamos.

Faça agora um pedido!

Você sabe o que deseja?

As vezes nosso desejo é difuso e carece de objetividade. As vezes vai além da possibilidade concreta de realização, por exemplo, querer ganhar sozinho a mega - sena, acumulada.

Quando sabemos realmente o que desejamos, provavelmente isto vai se realizar. Será por que o pedido foi feito com tanta fé que que ele se realizou? Não terá a fé contribuido para manter o foco, e a partir daí gerar causas e condições necessárias à sua realização?

Algo parecido acontece quando o arqueiro identifica o alvo e mira em sua direção. A águia quando caça. O mergulho da flecha, o mergulho da águia. A investida é certeira. Não se desvia e nem se distrai. Desejo e Realização – Um só. Já não há separação.

domingo, 5 de setembro de 2010

MONJA COEN NO VIAZEN


Ensinamentos Zen-Budista:
Data: 10 de setembro de 2010, sexta-feira.
Horário: 19h30.
Local: Via Zen - Rua Prof. Ivo Corseuil, 169 - Petrópolis/POA.
Contribuição sugerida: R$10,00
Sesshin (Retiro Espiritual Estilo Zen Budista)
Data: 11 e 12 de setembro de 2010 (Sábado dia todo e Domingo até meio-dia).
Valor: R$80,00 associados do Via Zen e R$100,00 não associados.
Local: Vila Zen - área rural de Viamão.
Inscrições com Monja Shoden: viazenrs@gmail.comou F: 3381-5539/8119-0287.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010


"Quando curiosamente ter perguntarem, buscando saber o que é aquilo,
Não deves afirmar ou negar nada.
Pois o que quer que seja afirmado não é a verdade
E o que quer que seja negado não é verdadeiro.
Como alguém poderá dizer com certeza o que aquilo possa ser
Enquanto por si mesmo não tiver compreendido plenamente o que é?
E, após tê-lo compreendido, que palavra deve ser enviada de uma região
Onde a carruagem da palavra não encontra um trilha por onde possa seguir?
Portanto, aos seus questionamentos oferece-lhes apenas o silêncio,
Silêncio - e um dedo apontando o caminho.

(Verso Budista , O Espírito do Zen, Alan Watts)